Muita gente diz que nunca é tarde para recomeçar, para buscar novos rumos ou para dar uma guinada na carreira profissional. O que nem sempre se diz é que, para isso, é preciso ter coragem e, muitas vezes, um tanto de ousadia também.  A Cosy é um exemplo disso, através de sua sócia-fundadora, Cynthia Venâncio.

Cynthia Venâncio

Administradora de empresas, começou sua carreira na área financeira de grandes multinacionais. O primeiro chamado para uma mudança veio logo aos 28 anos. “Segundo a antroposofia, aos 28 há um nó lunar, em que pode acontecer uma guinada na vida profissional. Esse nó lunar me pegou em cheio e eu tive uma grande crise. Eu trabalhava na área de finanças, mas eu queria muito atuar em outra área que, na época, achava que era marketing”, diz.

O caminho certo, porém, se revelou quando ela teve a oportunidade de desenvolver um projeto em parceria com uma empresa especializada em consultoria. Alguns anos e um mestrado depois, a inquietação voltou. “Antes de deixar o emprego em que estava, busquei várias formações na área de desenvolvimento humano, mergulhei na antroposofia, e fiz cursos por três anos. Sempre fui muito boa facilitadora de grupos e vislumbrava a possibilidade de ser facilitadora profissional. Fiz um curso de Coaching, e, assim que saí da Integration [empresa de consultoria], já com a vontade de comprar uma casa com jardim para montar um escritório, conheci a Casa Original”, conta Cynthia.

O ano era 2010 e foi a partir desse momento que a semente do que seria a Cosy foi plantada. Em todos os cursos dos quais participou, a empresária notou que o contato com a natureza era fundamental para a produtividade destes encontros. Porém, a maior parte deles era feita em locais afastados de São Paulo, em retiro.

Por que não oferecer, então, um espaço alternativo aos frios hotéis e em uma localização próxima dos principais centros corporativos da cidade? “Foi quando eu vi a Casa, com duas salas com bom tamanho para realizar reuniões, que pensei em criar a Cosy”, diz. De forma pioneira, surgiu um novo projeto: “nos estruturamos para atender bem ao mercado corporativo, com gastronomia e toda a infraestrutura necessária, sendo uma opção no Morumbi, com muito verde, luz natural e com a proposta de ter o aconchego, inclusive no nome”, relembra.

Desafios – Depois de tomada a corajosa decisão de, mais uma vez, começar de novo, chegou a hora de arregaçar as mangas e colocar a mão na massa. O primeiro grande desafio foi a necessária reforma do imóvel. “Cada vez que os engenheiros me perguntavam algo eu tinha que me perguntar, e responder, uma série de outras questões”, lembra Cynthia.

Somente o projeto de arquitetura da Casa Original levou nove meses. Entre 2011 e 2012, a casa passou por todas as adaptações necessárias em uma extensa reforma. Dois anos depois do primeiro encontro, finalmente, o grande momento chegou e a Cosy realizou seu primeiro evento corporativo, no dia 6 de dezembro de 2012.

O sucesso foi imediato. “O conceito e a Casa Original ficaram tão redondos que logo em 2013, primeiro ano de operação da Cosy, tivemos tantos clientes, que foi necessário pensarmos em expansão”, frisa.

O fator ousadia entrou em jogo. Para atender à crescente demanda de clientes – que aprovaram a proposta, mas queriam um espaço maior – com apenas um ano de atividade no mercado, Cynthia se viu diante da busca por mais uma casa que fosse ideal para a Cosy.

A solução estava bem próxima: na própria Avenida Morumbi. Com isso, o jovem negócio se expandiu e a Cosy passou a contar também com a Casa Mirante. “O primeiro ano foi de muita estruturação e, a cada ano que passava, reformavámos um pouco da nova casa. Em 2014, tínhamos somente a Sala Mirante em atividade. Em 2015, inauguramos nossa maior sala – a Gramado. Em 2016, fizemos o estacionamento e, 2017, a Sala Terraço”, conta.

Chegando ao seu primeiro setênio, a Cosy tem a estrutura completa para atender ao seu público com qualidade. “Nesses sete anos, também preciso destacar momentos marcantes para a nossa equipe. A chegada da Manu [Emanuele Kirie], em 2013, que se tornou sócia da Cosy, em 2017. O crescimento do Wand e da Paty, chegando às posições de liderança [Wanderley Rodrigues, coordenador de eventos e Patrícia Moura, coordenadora administrativo-financeira], e também a chegada do chef Alex Ferreira, que foi fundamental para desenvolver a nossa gastronomia”, celebra.

Planos para o futuro – Mais do que celebrar os sete anos de atividade, este é o momento para fazer planos para o futuro. Cynthia adianta que vem muitas novidades por aí!  “A Cosy sempre quis ser mais do que um espaço que abriga eventos corporativos; quer ser diferenciada e pensar nas soluções para o seu evento”, destaca. Esse novo passo será possível através de parcerias com empresas e facilitadores de renome, para disponibilizar serviços e produtos que tornarão as reuniões, treinamentos e workshops realizados nas duas casas experiências ainda mais interessantes e memoráveis. “Queremos que as pessoas vejam que a Cosy se importa com a qualidade dos eventos e tem soluções para eles. Queremos trazer para as pessoas que circulam por aqui mais arte, mais cultura e mais sustentabilidade, para que elas tenham a Cosy plantada no coração”, finaliza Cynthia Venâncio. E a proposta inovadora, liderada por empreendedoras de coragem, seguirá rendendo frutos.